quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Fuga de nada





Ah, despudorada aflição
traz a fuga de tanta
emoção
foge
comendo a algibeira
quebranta o magote longe
para ficar sem eira nem beira


terça-feira, 28 de outubro de 2014

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Fobia d'ágora




Sorrateiro medo, delírio
Retorna ao frasco de colírio
Porquanto pinga gotas, uveíte
Sorumbático, volta para a caverna
Platoniana sem precisar convite
Nunca saíra, bêbado numa taberna
recolhe o lixo de tua existência]



Coceira




Meu amor querido, 
Não te sintas ferido
Caso de alguma maneira
Traga-te Coceira
Na Língua
Pois, a míngua
Ficarei sem entender
O que fiz por apenas ser.
Quem sou]




Breve repente





Choveu no meu coração, penas de asas angélicas,
Soprou brisa nova, pomada contra lava quente,
Criou algum broto latente, partes carentes,
Corou a serpente no paraíso, amor de repente.
Fez-se um breve repente]




segunda-feira, 20 de outubro de 2014

Atuais diálogos




Depois de tentar conversar numa roda de pessoas "tecnologizadas":
-What's up?
-Não sei usar watsapp.
-É fácil
(silêncio) enquanto todos menos um com as cabeças abaixadas a esticar e puxar na tela de seus respectivos "ismartifones" e soltar risinhos de cumplicidade
-Eu queria dizer algo, lembra daquela vez que...
-Hum?!
Ninguém, além dele, estava ali. Todos estavam interagindo socialmente e ele deslocado, foi embora e, ao chegar perto de casa, o seu celular toca, "onde você está?".




A maldição do voto



Tento escrever um poema
Uma prosa qualquer
Um capítulo sequer
No entanto o anátema
De ler o que estão a escrever
Corta-me os dedos ao meio
Esfola-me os olhos sem ceder
Fugir de tal sina já nem creio
Na dúvida me calo]



sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Considerações Finais




O poeta ponderado escreve moderado
Mui diferente de quando está apaixonado;
Triste daquele sem alguém ao lado:
Perde entusiasmo e regurgita quadrado.

Sem a alma no corpo este perambula...
A esmo, para onde se dirige o gado!
Se for para o abismo, vai sem luta,
Anula a velocidade e tão sem retardo.

A inspiração aspira purgações!
Pirados e amalucados; ser destacado.
Felizes e alegres pelas escolhas e ações

Se este é mais um fardo considerado
Para outros é amor, alegria e lições...
Sem últimas considerações d’um soldado.

terça-feira, 14 de outubro de 2014

Quarteto matinal





Alvissareiro poema da manhã
Guarnece então segredos na algibeira
Tolo algum ousaria entrar pela beira
Peleja de buscar informação órfã.



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...