sexta-feira, 5 de junho de 2009

Louco amor

-Eu te amo!

-Como?

-Eu disse: eu te amo!

-...

-Não vai falar nada?

-Tenho de falar algo?

-...

-Por que essa cara feia?

-Porque você é insensível.

-Eu? Honestamente, não sei do que você se refere...

-Eu disse “eu te amo” e você não falou nada, ficou aí com essa cara de esnobe.

-Ah! Entendi. Então é pra eu dizer algo quando me diz “eu te amo” e nos conhecemos não tem duas horas?

-Não disse? Esnobe!

-Ei, chega pra lá, não vem não, só porque diz me amar em duas horas de conversa acha que tem o direito de apertar o meu braço?

-Além de esnobe é frágil! Saco, porra: EU TE AMO!!!

-O-K, t-á, agora pode soltar um pouco o meu braço e conversamos?

-Arrogante! Caralho: EU TE AMO!

-gasp.

-Não sei o que você pensa da vida, mas sei do que você precisa, de um pouco mais de humildade, só porque me fez te amar com seu sorriso e suas idéias, acha que pode me tratar como um cara qualquer? Só porque você me tratou como um Deus, é um Deus, com suas estórias de sua vida inteira enquanto eu falava das minhas, e me trazia o café que o garçom demorou a trazer e sorria. Não, não, se me encantou assim, terá de pagar um preço.

-Por favor, não aperta mais meu pescoço, podemos conversar, e-eu te digo que t-te amo, faço o que quiser, mas não me machuca!

-Egoísta! Se preocupa só com você, e eu? Tô esfolado com meu coração sangrando, porra, EU TE AMO MUITO, nunca senti isto antes, você é foda, faz isso com todos não é? Com quantos, hein?! Tenho certeza que distribui esse sorriso pra todos e faz o mesmo que fez comigo... Eu te amo, droga.

-Que tal eu ligar o carro, e continuar até algum lugar bonito, com gente, sair daqui do meio da estrada, afinal eu te levava pra casa, lembra?

-Ainda mais essa. Agora quer me fazer sentir inferior porque tem um carro e eu não, já saquei a tua, não ama ninguém além de você, muita gente te ama: você eu e os outros, ah, os outros, fico louco só de pensar...

-Calma, a-a-m-mor, não existem outros, vou refletir sobre ser egoísta, não quer mesmo ir pra casa? Já liguei o carro, solta meu braço para eu dirigir? Hum?

-Pra quê? Pra depois de me deixar encontrar com outro? Não vai não! Eu te amo e assim vai ficar, não sairá daqui.

Deu um murro no rosto de quem disse amar, estrangulou até a morte o seu objeto de amor, saiu do carro e foi a parada de ônibus. No carro a mulher estrangulada, morreu sem saber o porquê daquilo e do que ele falava, uma vez que oferecera carona após trocar algumas palavras com o cliente da mesa ao lado onde tomava um café.


Cristiano Melo, 05 de Junho de 2009.

21 comentários:

  1. Há, adorei! :-) Coisas da vida.

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    Ui, que choque!
    Mas sem dúvida é um belo conto...
    Bom fim de semana.

    ResponderExcluir
  3. Credo! E pior que coisas assim ou bem parecidas aos montes. O que existe mais hoje é sociopatas e muitas vezes ao nosso redor sem que a gente desconfie. Se pudesse daria um selo nota 10 pra vc!

    ResponderExcluir
  4. A paixão é assim. Barthes disse em seus fragmentos de um discurso amoroso que qdo um casal briga já está se amando;))
    Belo texto, Cris.
    Não só pelo conteúdo mas tb pela forma. Dá pra ser uma fala , um monólogo. Tragicômico. Já pensou em fazer stand-up comedy?
    Um diálogo desses com alguém afiado como vc seria hilário e triste. Mas seria ótimo sempre!
    Muito, muito bom.

    ResponderExcluir
  5. Vanessa, é são coisas da vida...e da morte!rs
    Obrigadão
    beijos

    ResponderExcluir
  6. Elaine,
    choquei?rs
    às vezes mato meus protagonistas...rs2
    Obrigado pela leitura
    bom final de semana também
    bjo

    ResponderExcluir
  7. Angélica,
    vc já me dá dez quando lê e comenta, adoro seus comentários, sempre atinados, muito obrigado pela presença. Infelizmente nunca sabemos quem está ao lado, só quando já pode ser tarde.
    bjos

    ResponderExcluir
  8. Bea,
    adoro diálogos e vc sempre com ideias interessantes. Na verdade já tentei enveredar pelos dois caminhos: o de escrever roteiro para atuar e já tuei com o Adriano como ator amador em comédias irônicas, muito irônicas, em Fortaleza no inicio dos anos noventa...
    brigadão
    bjos

    ResponderExcluir
  9. Cris, meu lindo: num primeiro instante o riso nos acompanha. Depois vem a tragicidade. É como diz nossa CD - as paixões são assim, muitas vezes assustadores. Que narrativa, meu irmão! Parabens.

    ResponderExcluir
  10. É uma verdade, mas todos tem riscos e manchas na psique, ou seja sonhos... as vezes mal interpretados, mas seus versos cada dia surprendem, encontre se assim quero ver mais sobre vc... e com isto entender este Cristo, abraços.

    ResponderExcluir
  11. Graça querida,
    obrigado pela presença e comentário. Alegra-me que tenha gostado da narrativa, as vezes acho que escrevo melhor em prosa.
    beijos

    ResponderExcluir
  12. "Anonimo" devo ligar o carro?rs
    Obrigado pela visita

    ResponderExcluir
  13. huhauhauhauahhuahauhauha....muito bom querido! Pior é que eu já conheci gente doida assim.... que AMA sem nem saber porque... só não morri ainda... acho!

    ResponderExcluir
  14. Max,
    kkkkkkk
    Pois é, de doidinho o mundo tá cheio!!!
    Como se fóssemos normaizinhos...rs
    Mas cê não tá muerto não, olha aí o que foi escrito, ou é sua alma? Oi alma do Max, vamos fazer nossa prosa em diálogo? Hum? Tenho certeza que matará muitos de rir e de assombrar..
    abração

    ResponderExcluir
  15. Querido amigo Cris,

    quanta insensíbilidade
    e pensar que tem mulheres que desfalecem quando ouvem essa palavra "Eu te amo"
    Ou esta mudando o mundo ou mudei eu?
    bjs

    ResponderExcluir
  16. Cristiano,

    E como tem loucos nessse mundo...
    Mas seu diálogo nos diverte e nos alerta, porque muitas mulheres se desfalecem ao ouvir a palavra "eu te amo"
    Nesse caso ela pecou por ser insensível e não saber conduzir a situação.
    Bjs

    ResponderExcluir
  17. Achei um conto tão real. A paixão tem muito a ver com a loucura, acho que são primas.
    Sabe que é muito raro eu dizer "eu te amo"? Já passei por insensível e por um segundo pensei que essa situação aí bem que poderia ter sido vivida por mim... rsrs

    Beijos

    ResponderExcluir
  18. Acredito que existam amores loucos no sentido de inusitados e rapidos...e isso sem necessariamente alguem morrer.Se bem que algum tipo de morte as vezes é inevitável por mais que não se queira...

    ResponderExcluir
  19. Minha amiga sumida Dô,

    há mais de um ano que não respondi seu comentário, mil desculpas, é que nesta época, foi justamente quando me ausentei da poesia. Muito obrigado pelo comentário e espero vê-la mais vezes.

    beijos

    ResponderExcluir
  20. Cris,

    A paixão, do meu ponto de vista, é algo que está muito relacionado à bioquímica do corpo, os sentimentos é que estão subjacentes, no caso de se sentir apaixonado, pode-se sentir algo além da paixão que funciona por baixo. Confesso que não gosto da fase de apaixonamento, tudo é muito, demais, que o corpo fica cansado. Se pudesse escolher eu pularia a paixão.
    Mas, sobre o conto, espero que você não enforque ninguém. rs

    beijos

    ResponderExcluir
  21. Robson,

    Você expressou muito bem sobre haver alguma morte quando há rompimentos. Tanto, que, a maior dificuldade que o ser humano encontra é aprender a lidar com a perda, talvez a mais difícil. Mas no caso em questão do conto, é uma situação estúpida, que aconteceu por acaso, uma tragédia, não havia envolvimento, só a "viagem" do esquizofrêncio/sociopata (um dos dois). Acho que a denominação de um "louco amor" no caso do conto e no do seu comentário são distintas.

    Obrigado e abraços

    ResponderExcluir

Deixe aqui a sua impressão

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...